Type Here to Get Search Results !

Street Fighter 2: The World Warrior - Arcade/Super Nintendo/Mega-Drive

Street Fighter 2: The World Warrior - Arcade/Super Nintendo/Mega-Drive e uma porrada de outros consoles

Em 1991 era lançado o jogo que reformulou toda a indústria dos jogos de luta: Street Fighter 2: The World Warrior, desenvolvido pela Capcom, lançado como um título arcade e portado para as mais diversas plataformas,sendo uma continuação do Street Fighter de 1987 (temos um post sobre ele),onde um novo torneio de artes marciais ao redor do mundo é realizado,sendo patrocinado por uma organização criminosa conhecida como Shadaloo,tendo M. Bison como líder.

O jogo melhorou muito dos conceitos já estabelecidos no primeiro jogo,com a Capcom superando a sí mesma,trazendo uma jogabilidade 100% melhorada em relação ao jogo anterior e uma variedade de personagens jogáveis, personagens esses que caíriam no gosto do público e se tornariam amados,queridos e lembrados por todos. O game fazia uso da placa CPS 1 da Capcom,proporcionando gráficos e áudio bem melhorados em relação ao jogo anterior.

O game segue várias das convenções e regras já estabelecidas no jogo anterior,com o jogador enfrentando uma série de oponentes em lutas cara-a-cara em partidas que podem durar até 10 rounds caso haja empate (isso foi reduzido para 4 rounds nas versões seguintes). A cada três lutas o jogador participará de um round bônus para ganhar pontos adicionais,o primeiro sendo necessário destruir um carro antes do tempo acabar,o segundo sendo quebra de barris e o terceiro,quebra de barris inflamáveis. Entre as partidas,um mapa-mundí centrado no Pacífico é mostrado e após o oponente ser escolhido de forma automática,um aviãozinho se moverá pelo mapa,de país em país, mostrando que o jogador está viajando pelo mundo.

Assim como seu predecessor,o jogo usa um joystick de 8 direções e 6 botões de ataque divididos em soco e chute (fraco, médio e forte) e traz como novidade o movimento de "agarrão" que não existia no jogo anterior. A jogabilidade foi 100% melhorada,sendo muito mais fácil realizar os golpes especiais por meio de comandos específicos de diferentes execuções para cada personagem jogável. O game ainda trouxe um sistema de combos, embora que por acaso,já que alguns jogadores perceberam que alguns golpes podiam ser combinados em sequência,não permitindo que o oponente defendesse os ataques. Tal "sistema de combos" foi adotado por jogos de luta que viriam depois e foi incorporado nas versões seguintes de Street Fighter 2.
Outra grande novidade era a seleção de personagens,trazendo um total de 8 personagens jogáveis,sendo 3 deles retornantes do título anterior: Ryu ,Ken e Sagat,sendo 5 estreantes. Os personagens são:

Ryu: o karateca japonês e vencedor do torneio anterior. Ryu deixou de usar suas sapatilhas vermelhas e tirou a tinta do cabelo também. Ele entra no torneio para aprimorar suas habilidades.

Ken: era o segundo player do jogo anterior,agora se tornou um personagem jogável de verdade. Ele é melhor amigo de Ryu,rival e ex-companheiro de treinos,dos Estados Unidos.

E. Honda: um lutador de sumô do Japão,que entra no torneio para melhorar a reputação negativa do sumô.

Guile: também conhecido como "General Uile" pelos fliperamas afora,ele é um ex-agente das forças especiais da Força Aérea dos EUA,que busca derrotar M. Bison por ter matado seu melhor amigo Charlie.

Chun-li: aaaah,a responsável por inúmeros "pauses" na hora certa ♥️. Ela é uma artista marcial chinesa que trabalha como oficial da Interpol e também busca se vingar de Bison por ter matado seu pai.

Blanka: uma fera mutante que foi criado na selva. É representante do Brasil, afinal todos nós somos monstros verdes que dão choque, né?

Zangief: um lutador profissional de wrestling da União Soviética,que entra no torneio apenas para mostrar que a "força Soviética" é a mais forte. Viva a foice e o martelo (ironia).

Dhalsim: também conhecido como "macumbeiro". Brincadeiras a parte, Dhalsim é um indiano de bom coração que entra no torneio para ajudar seu povo com o dinheiro ganho.

Além dessa galera,o jogo tem 4 personagens não jogáveis pelo jogador,sendo controlados pela CPU e sendo os Bosses do jogo. São eles:

Balrog: um ex-boxeador americano que começou a trabalhar para a Shadaloo por dinheiro fácil. Foi inspirado no boxeador Mike Tyson e no Japão se chama M. Bison,tendo seu nome trocado no ocidente pela Capcom temer um possível processo por parte do boxeador.

Vega: um toureiro espanhol que empunha uma garra e usa um estilo único de ninjutsu,sendo o personagem mais rápido do jogo e o mais irritante de se enfrentar. Ele usa uma máscara para proteger seu rosto. Ele é vaidoso e deseja eliminar as pessoas "feias" do mundo...já vi vilões com objetivos ridículos,mas esse cara tá de parabéns. No Japão,seu nome é Balrog.

Sagat: o Tailandês lutador de Muay Thai retornou com sede de vingança,buscando uma revanche contra Ryu que causou uma cicatriz em seu peito. Ele é o terror dos jogadores,sendo bem apelão com seu famoso "Tiger Robocop".

M. Bison: o líder da Shadaloo. Ele usa um misterioso poder conhecido como "Psycho Power". É o adversário final. Seu nome é Vega no Japão.

Fora esses personagens,um erro de tradução na versão americana do jogo acabou criando uma lenda urbana gigantesca na época: o personagem secreto Sheng Long.
Na fala de Ryu a um oponente derrotado ele diz "Você deve derrotar Sheng Long para ter uma chance" quando na verdade deveria ser "Você não pode superar meu Shoryuken, você não pode me vencer". Isso foi o bastante para que os jogadores concluíssem que existia um personagem oculto chamado Sheng Long no jogo e pra piorar,todo mundo afirmava ter visto o tal personagem,mas ninguém dava provas concretas de como fazer para desbloquea-lo. Todo mundo tinha um amigo,que tinha um irmão,que tinha um primo que tinha um vizinho que conseguiu habilitar o tal personagem e assim a lenda se tornava cada vez maior, inclusive sendo usada pela revista de games EGM (Electronic Gaming Monthly) como uma brincadeira de dia da mentira, ensinando não só como habilitar Sheng Long,mas também mostrando imagens do personagem,sendo, logicamente, montagens,mas na própria edição a revista confessava que era apenas uma brincadeira e que Sheng Long não era real. Ainda assim,muitos jogadores juravam que Sheng Long existia e essa lenda durou muito tempo.

Uma das dúvidas dos jogadores era saber quem eram os personagens que aparecem na introdução do jogo e foi revelado pela Capcom que eles se chamam Scott e Max.
Street Fighter 2 foi seguido por uma série de versões atualizadas,cada uma refinando a jogabilidade e mecânicas do jogo,melhorando os gráficos e adicionando mais personagens a lista:

A primeira atualização foi 1992,com a Street Fighter 2: Champion Edition,que permitia aos jogadores escolher os 4 Bosses e permitia ao segundo jogador escolher o mesmo personagem, além de incorporar de vez o sistema de combos com um contador de hits.

(A partir daí, inúmeras versões falsificadas foram lançadas no mercado,adicionando mais velocidade,golpes absurdos e outras bizarrices como teletransporte e poder trocar de personagem a qualquer momento no meio da luta,as famosas Street Fighter 2 de Rodoviária.)

Em resposta a essas versões piratas,a Capcom lança a Street Fighter 2 Turbo: Hyper Fighting em dezembro de 1992,aumentando a velocidade do jogo e dando novos movimentos a alguns personagens.

Em 1993 chegava a Super Street Fighter 2: The New Challengers,que marcou a mudança para a nova placa CPS 2,aprimorando os gráficos e áudio do jogo e introduzindo 4 novos personagens: Cammy,T. Hawk,Fei Long e Dee Jay.

Em 1994 era lançado mais uma atualização: Super Street Fighter 2 Turbo,trazendo movimentos especiais chamados Super Combos,bem como um personagem secreto: Akuma,se tornando um ícone na cultura gamer. Essa foi a última versão lançada para os fliperamas.

Todas as 6 versões do jogo foram portadas para várias plataformas, tanto em versões individuais como em compilações. O port para o Super Nintendo merece destaque por ser muito fiel a versão original,sendo um dos jogos mais vendidos do console,com mais de 6,3 milhões de cartuchos vendidos,tendo três versões para o SNES: The World Warrior, Turbo e The New Challengers,e duas entre essas três versões estão no top 10 de jogos mais vendidos para o sistema.

Vale destacar também que a dificuldade do jogo era alta nos fliperamas,sendo apelidado de "papa-fichas" pelos jogadores, além do fato da CPU ser completamente "roubada",arrancando mais vida do jogador,realizando golpes de maneira mais fácil,dano extendido,etc...

Street Fighter 2 é considerado um dos jogos mais influentes de todos os tempos,como também o jogo de luta mais importante da indústria dos videogames. Seu lançamento em 91 é considerado um momento revolucionário na história dos jogos eletrônicos. Sua popularidade surpreendeu a indústria de jogos,com os proprietários de casas de fliperamas comprando cada vez mais máquinas para atender a demanda. Em 1994 o jogo já era jogado por mais de 25 milhões de pessoas nos Estados Unidos,e estima-se que o jogo arrecadou mais de $ 10 bilhões em receita total. Seu sucesso inspirou uma onda de jogos de luta que inicialmente eram rotulados como "clones" devido a sua imensa popularidade,como Mortal Kombat e Killer Instinct.

Seus ports para os consoles domésticos foi igualmente impactante,sendo um grande evento que impulsionou as vendas do Super Nintendo e se tornou um dos jogos mais procurados e alugados mundo afora.

Street Fighter 2 deixou um imenso legado,dando toda a base para os jogos de luta que viriam depois dele,sendo o responsável por introduzir a mecânica de combo, mesmo que por acidente,sendo o responsável por revitalizar a indústria dos videogames no início da década de 1990,a um nível de popularidade não visto desde os dias de Pac-Man no início de 1980,sendo de longe o jogo de arcade mais vendido desde a era de ouro dos videogames,dando início a um renascimento para a indústria de jogos arcade.

O jogo ainda foi responsável por popularizar o conceito de competição entre os jogadores que faziam fila nas casas de jogos e bares de esquina,a fim de determinar quem era o melhor jogador. Enquanto que a maioria dos jogos determinavam o melhor jogador através de pontos e com uma dificuldade já estabelecida pelo game, Street Fighter 2 contava com a habilidade do jogador para decidir quem era o melhor,rendendo inúmeros torneios e abrindo caminho para os modos competitivos e deatchmatch dos jogos de ação modernos. Cada jogador era uma dificuldade diferente.

Também foi responsável pelo conceito de revisões,com a Capcom continuamente atualizando e expandindo o jogo,abrindo caminho para os patches e conteúdos para downloads encontrados nos videogames de hoje,as famosas DLCs (sim, agradeça a Capcom por isso 😡), além de se popularizar na cultura popular.

Enfim, Street Fighter 2 foi um marco em toda a história dos videogames,reformulando toda a base que a própria Capcom já havia criado com o primeiro jogo e melhorando ela em 100%. Um jogo que vale todos os elogios possíveis.

Creditos : #Kaio

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Comentarios