Header Ads

Nossa Opinião sobre o Jelly Mario

Sabe aqueles jogos que, nos moldes de QWOP e tantos outros clássicos, foram feitos especialmente para frustrar você com controles que não foram feitos para seres humanos? Essa é basicamente a história de Jelly Mario. A diferença é que, nesse caso, a execução não acompanha a ideia.

Antes de tudo, que a verdade seja dita: Jelly Mario vai enganar muita gente em seus primeiros segundos com a fidelidade de seu visual. Esse, de fato, é um dos pontos fortes do game, já que ele consegue sim dar um toque quase psicodélico a uma jogatina que, de início, parece o clássico Super Mario Bros.
Quanto aos controles, pode ter certeza de que são tão esquisitos e frustrantes quanto você está imaginando. A parte curiosa é que em Jelly Mario isso é mais um elogio, já que os jogadores com certeza vão ficar confusos e dar boas risadas até entenderem como passar da tela inicial.

Uma viagem que devia ter acabado faz tempo

A parte complicada de Jelly Mario é justamente o fato de que o game é só isso. Como não é possível coletar itens, encontrar passagens secretas ou mesmo interagir com o cenário que não colidindo com os blocos, fica difícil fugir da mesmice – mesmo com a mudança de skin dos mapas.
Jelly Mario também perde pontos por sua dificuldade, que rapidamente se torna frustrante. Depois da primeira fase, todos os desafios se resumem a obstáculos que dependem de muita sorte e timing (ou uma dose de presciência) para passar. Geralmente são passagens mínimas nas quais Mario fica facilmente preso, com inimigos que são arremessados contra elas assim que você se aproxima. Resumindo: simplesmente injusto.
Por culpa disso, Jelly Mario se mostra um daqueles jogos simplesmente desinteressantes. Você até pode curtir os primeiros minutos ou mesmo as primeiras fases, mas não vai demorar para que essa loucura toda perca a graça.

Prós & Contras

Prós

  • Proposta engraçada
  • Jogabilidade inovadora

Contras

  • Experiência repetitiva
  • Desafios são frequentemente injustos
  • Muitos obstáculos só se vence na sorte

Tecnologia do Blogger.
×